MG 7975

Brasília, 04 de abril - O deputado Cristiano Araújo (PSD) reuniu-se nesta terça-feira (4) com o diretor-presidente da Novacap, Júlio Menegotto, para discutir cronograma de vistoria e manutenção de pontes e viadutos do sistema viário do Distrito Federal. Na semana passada a Câmara Legislativa derrubou veto do governador Rodrigo Rollemberg ao Projeto de Lei 271/2015, de iniciativa de Cristiano, que obriga o governo a fazer anualmente perícia técnica nessas estruturas viárias.

Durante o encontro na sede do órgão, Menegotto informou que a Novacap já está elaborando um estudo para levantar os custos de manutenção de pontes e viadutos do DF que precisam de reformas e pequenos reparos. Ele também antecipou ao parlamentar que as pontes JK e Honestino Guimarães vão passar por um processo de licitação para sanar problemas existentes assim que o estudo for concluído.

Ao ouvir do dirigente que a Novacap não tem recursos próprios para fazer o trabalho de vistoria e reparação, o deputado Cristiano Araújo se colocou à disposição da empresa e do governo para ajudar a encontrar mecanismos legais que busquem recursos financeiros para a realização do trabalho de vistoria, perícia e manutenção das obras viárias. Uma das alternativas, segundo Cristiano, seria a destinação de emendas parlamentares.

O parlamentar fez questão de ressaltar que não tem nenhuma pretensão de criar dificuldades operacionais e financeiras para o GDF, mas se colocar como parceiro na busca de soluções para proteger e preservar a vida de milhares de pessoas que transitam diariamente pelas vias públicas de Brasília. “São dezenas de pontes e viadutos sem manutenção espalhados por todo o DF. Foi pensando em cuidar dos cidadãos de Brasília que apresentei essa iniciativa na Câmara”, argumenta Cristiano.

Vale lembrar que as condições precárias das estruturas das vias públicas urbanas do DF já foram notícia por várias vezes nos veículos de comunicação da cidade. Em 2011, o diretor de Urbanização da própria Novacap, Carlos Arthur Viveiros, morreu após ser atingido por uma pedra, vinda do alto do viaduto, próximo ao Park Shopping. O último caso foi em fevereiro deste ano, quando parte da mureta de proteção de um viaduto caiu na via EPIA.